quinta-feira

Carta para Perpétuo

Perpétuo Destino,
que tal 2010? Pregou-me algumas peças, mas creio que me saí bem na maior parte delas.
Abandonou-se algumas vezes, à mercê de sua irmão hermafrodita, Desejo, porém poucas vezes. Não tirou-me a aura. Sua sombra me persegue, e ainda hoje penso por que e por que não. Acho que a resposta é que o antônimo do amor é o amor próprio. Resta saber se o amor próprio é próprio para mim.
No início do ano, afastou meu irmão. Justo, bom para ele, mas doloroso a longo prazo. Não é verdade que a valorização vem com o tempo? Não é, mas aconteceu.
No outono, você esperou longamente até que todas as minhas esperanças fossem embora para dar o que eu queria, e sou plenamente grata. Dessa enorme caixa saíram preciosidades que felicitaram meus dias já definitivamente extra-placentários.
No inverno, tirou-me grande parte das minhas amizades verdadeiras. Tudo culpa de sua irmão, embora o direcionamento subjetivo seja outro. Tirou-me meu avô... doloroso, mas justo. Virou mito.
Na primavera, deu-me belas paisagens, inesquecíveis, embora as lembranças fortaleçam em mim o desejo de fuga em planos imperfeitos.
E, por fim, nesse novo verão, evaporou minha compaixão tentando dar espaço à individualidade. Juro que darei meu melhor.
Em breve, um novo ano para nós. Jogue os dados e eu roubarei.
De sua Kiril.

PS: Ainda prefiro Deus.

Um comentário:

VuspX disse...

2011 novo ano, novos obstáculos, novos aprendizados, mas muito em consequencia dos velhos. Só que tudo pode mudar, pq o presente faz parte do caminho pro futuro. E o passado... os passos já foram dados. Carpe diem! E conquiste seu caminho. Um ótimo 2011! bjos